Vanguarda do atraso ou atraso da vanguarda? Oswald de Andrade e os teimosos destinos do Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Dissertação de Mestrado: Vanguarda do atraso ou atraso da vanguarda? Oswald de Andrade e os teimosos destinos do Brasil

Autor(a): Bruna Della Torre de Carvalho Lima

Ano: 2012

Orientador(a): Lilia Katri Moritz Schwarcz

Unidade da USP: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)

Disponível em: https://doi.org/10.11606/D.8.2012.tde-11032013-122116

 

Resumo:

Esta dissertação pretende encontrar as matrizes do conceito de antropofagia do modernista Oswald de Andrade, tal como ele foi formulado no Manifesto Antropófago de 1928 e em obras posteriores, tais quais a peça O Rei da Vela (1933) e a tese de filosofia A Crise da Filosofia Messiânica (1950), a partir de uma reflexão que busca dar conta dos processos alterativos de constituição de identidades em países periféricos. Oswald de Andrade foi autor de muitas das mais audaciosas experiências de vanguarda na América Latina e seus escritos seguem iluminando a história do Brasil desde então. Nesta chave, essa dissertação pretende também problematizar a articulação complexa entre a arte modernista e a história política e cultural do país, através da releitura da obra de Oswald de Andrade urdida pelo movimento tropicalista nos anos de 1970 e assim como é lida atualmente.

Palavras-chave: Antropofagia; Brasilianização; Modernismo; O Rei da Vela; Oswald de Andrade; Tropicalismo; Vanguarda.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.