Literatura, política e legitimação institucional: o romance de 1930 e o modernismo de 1922 segundo a retórica estadonovista

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Artigo: Literatura, política e legitimação institucional: o romance de 1930 e o modernismo de 1922 segundo a retórica estadonovista

Autor: Thiago Mio Salla

Revista: Teresa – Revista de Literatura Brasileira

Ano: 2015

Disponível em: https://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/115419 

Resumo: 

O presente artigo propõe-se a recuperar o modo por meio do qual alguns intelectuais vinculados ao Estado Novo brasileiro — Almir de Andrade, Rosário Fusco e Wilson Lousada, entre outros — promoveram uma leitura teleológica do modernismo de 1922, bem como procuraram apropriar-se do romance regionalista de 1930 como meios de legitimar a chegada e a permanência de Vargas no poder. 

Palavras-chave: Romance de 1930, modernismo de 1922, Estado Novo, Graciliano Ramos.

Fonte: Portal de Revistas da USP