Da Corte ao Confronto: capítulos de história do Brasil oitocentista

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Livro: Da Corte ao Confronto: capítulos de história do Brasil oitocentista

Autor(a): Monica Duarte Dantas (organizadora)

Editora: Fino Traço

Ano: 2020

Disponível em: http://www.finotracoeditora.com.br/livros/000581/9786599156144/da-corte-ao-confronto-capitulos-de-historia-do-brasil-oitocentista.html 

 

Descrição: 

O desafio contemporâneo de refletir criticamente sobre a realidade brasileira, em perspectiva inter/multi/ trans e pós-disciplinar, materializa-se nos títulos que integram a Coleção Estudos Brasileiros, do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, na Série Paralelos 22, publicada pela Editora Fino Traço.

Pensar a América portuguesa e o Brasil, a partir de apurada perspectiva epistemológica, pressupõe a ampliação, o adensamento e a interconexão de diferentes enfoques teóricos e metodológicos capazes de propiciar a apreensão de experiências coletivas e individuais, desvelando áreas de investigação fronteiriças ou ainda pouco exploradas.

Supõe, igualmente, a compreensão das múltiplas temporalidades que constituem o processo histórico, tensionadas entre continuidades e rupturas. Impõe um olhar, simultaneamente abrangente e verticalizado, sobre questões econômicas, políticas e geográficas, e sua configuração social, étnica/racial e de gênero, contemplando alteridades e diversidades, assim como sobre sua conformação educacional, cultural, literária, artística e religiosa, em um mundo globalizado.

 

SUMÁRIO:

INTRODUÇÃO

PARTE I: DE ARMAS NAS MÃOS

CAPÍTULO 1 – Rebeldes da Serra do Rodeador: Experiências, agências e estratégias de luta no agreste pernambucano do século XIX (Pedro Castellan Medeiros)

CAPÍTULO 2 – Resistência na Cidade Imperial: a viagem e o cotidiano de irlandeses no Rio de Janeiro (Gilmar de Paiva dos Santos Pozo)

CAPÍTULO 3 – Rusga: motivações e ideários do massacre de portugueses ocorrido em Cuiabá em 30 de maio de 1834 (André Nicacio Lima)

 

PARTE II: EXISTÊNCIA E RESISTÊNCIA

CAPÍTULO 4 – O processo de extinção das corporações de ofícios no Brasil: organização e resistência de um grupo de trabalhadores do Recife (1787 –1824) (Renata Bezerra de Freitas Barbosa)

CAPÍTULO 5 – Galés e africanos livres nas instituições carcerárias da cidade de São Paulo: autonomia e controle (Flávia Maíra de Araújo Gonçalves)

 

PARTE III: CÂMARAS EM CONFLITO

CAPÍTULO 6 – Responsabilidade dos magistrados superiores e o Supremo Tribunal de Justiça do Império (1826-1828) (Júlio César de Oliveira Vellozo)

CAPÍTULO 7 – A punição pela morte no Código Criminal do Império do Brasil: debates parlamentares e concepções jurídico-políticas na positivação das leis penais (Vivian Chieregati Costa)

CAPÍTULO 8 – Processo legislativo e disputa partidária no Império do Brasil: a tramitação da lei Saraiva no parlamento (1880-1881) (Filipe Nicoletti Ribeiro)

 

PARTE IV: O GOVERNO MOVE SUAS PEÇAS

CAPÍTULO 9 – A nobreza no Brasil: concessão de títulos, conjunturas e estratégias políticas no oitocentos brasileiro (1808-1889) (Marina Garcia de Oliveira)

CAPÍTULO 10 – A província, o Império e o Prata: tensões internas e externas na pacificação da Guerra dos Farrapos (Leonardo dos Reis Gandia)

CAPÍTULO 11 – “Ficam os Ribeirinhos a sós conosco, e com eles podemos nós”: o interesse estrangeiro na Amazônia imperial (Pedro Gustavo Aubert)

 

PARTE V: A OPOSIÇÃO TOMA AS RUAS (E AS LOJAS)

CAPÍTULO 12 – A “Vigilância da Pátria”: a maçonaria brasileira e sua atuação na década de 1820 (Pilar Ferrer Gomez)

CAPÍTULO 13 – O homem do povo seja pelo povo: Teófilo Ottoni, a eleição da “liga constitucional” e os limites entre o povo e o parlamento (Bruno Fabris Estefanes)

CAPÍTULO 14 – Das lojas ao partido: a maçonaria e a formação do Partido Republicano Paulista (Luaê Carregari Carneiro)

 

Fonte: Fino Traço.