A pintura como tradução da fotografia: Affonso Taunay e o uso da obra de Militão de Azevedo para a construção de uma identidade paulista

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Dissertação de Mestrado: A pintura como tradução da fotografia: Affonso Taunay e o uso da obra de Militão de Azevedo para a construção de uma identidade paulista

Autor(a): Marco Fabio Cunha Grimaldi

Ano: 2016

Orientador(a): Domingos Tadeu Chiarelli

Unidade da USP: Escola de Comunicação e Artes (ECA)

Disponível em: https://doi.org/10.11606/D.27.2019.tde-26042019-100510

 

Resumo:

Por ocasião das comemorações do Centenário de Independência do Brasil em 1922, o diretor do Museu Paulista, Affonso de E. Taunay, sob orientação do governo do Estado, comissionou o pintor Benedito Calixto para a elaboração de 08 telas a óleo, a partir do Álbum Comparativo da Cidade de São Paulo, 1862 – 1887, de autoria do fotógrafo Militão de Azevedo, para retratar a cidade de São Paulo em sua suposta configuração no período Imperial. A pesquisa objetiva investigar o papel exercido por essas 08 telas na formação da identidade cultural paulista e sua contribuição para a construção de uma história do Brasil sob a ótica da elite paulista do último quartil do século XIX e início do XX e a instrumentalização da fotografia decorrente desta operação. Este objetivo deverá ser atingido por meio da análise do processo de transposição das imagens do meio fotográfico para o pictórico e de seu estudo formal, em particular dos ícones e tipos paulistas exemplares naquele período – o tropeiro e o bandeirante – e como eles influenciaram o imaginário paulista.

Palavras-chave: Calixto; Fotografia; Instrumentalização; Militão; Pintura; Taunay.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.