Diálogos improváveis: evento cultural debate desafios do Brasil

Evento é promovido pela Pró-reitora de Cultura e Extensão entre os dias 13 e 17 de setembro
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Evento promovido pela Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP – Imagem: Divulgação/PRCEU-USP
Uma semana marcada por debates é o mote do evento online 3 x 22: diálogos improváveis, organizado pelos órgãos de cultura da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP. Entre 13 e 17 de setembro, mesas-redondas e atividades artístico-culturais abordarão aspectos diversos do “contar o tempo”, visando refletir sobre as datas do bicentenário da Independência e o centenário da Semana de Arte Moderna, celebradas em 2022.

Pessoas de diferentes atuações profissionais examinarão as temáticas do seminário, que pretende estimular o pensamento sobre como e o que comemorar nos 200 anos de Independência do Brasil. 

O professor Alexandre Macchione Saes, da Faculdade de Economia Administração e Contabilidade (FEA da USP, e coordenador do evento, afirma que  a concepção da programação estimula a reflexão crítica de uma forma diferente, valorizando a pluralidade:  “No contexto de crise em que a sociedade brasileira se encontra, reunimos profissionais de formações variadas para estabelecer ´diálogos improváveis´ debatendo desafios que entrecruzam passado, presente e futuro do país”.

A semana começa com a mesa “Outros tempos” que tem como convidados a bióloga e engenheira florestal Nurit Bensusan, o ex-diretor do Museu de Arte Contemporânea da USP, José Teixeira Coelho Neto, e a professora e escritora Marília Librandi Rocha. 

Na sequência, dia 14, o professor Rodrigo Turim, a economista, gestora pública e ex-ministra Tereza Campello, e a gestora cultural Bel Mayer debatem “Memória é vela ou âncora?”, a partir de uma interrogação do jornalista e escritor Eric Nepomuceno.

O professor, curador e crítico de arte Agnaldo Farias, a professora, escritora e crítica literária Noemi Jaffe, e o historiador Luiz Felipe Alencastro discutem em 15 de setembro o tema Invenção das tradições. Na quinta-feira, 16, é a vez da mesa “Ousar reinventar o futuro”, com a historiadora e indígena Marcia Mura, o professor Ricardo Abramovay e o professor Alexander Turra.

O encerramento, na sexta-feira, 17, fica por conta do físico e ex-reitor da Unicamp Marcelo Knobel, da jornalista Bianca Santana e do professor Sérgio Bairon, que abordarão o tópico “Tempo e espaço, navegando todos os sentidos”.

Para debater “3 X 22” em múltiplas dimensões, os órgãos de cultura da USP realizarão um conjunto de atividades ao longo de setembro de 2021. Para Saes, esse caráter conjunto enriquece o evento.  “A reunião de diversos órgãos de cultura da USP promove um resultado ainda mais interessante em termos artísticos e de conteúdo”, avalia.

Destacam-se as apresentações do Coral da USP (Coralusp), no dia 13; as interpretações da Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) e de Luciana Sayure (piano solo) de Villa-Lobos, no dia 15; o experimento cênico “Em teu nome”, a partir da obra “O grande inquisidor” de Dostoiévski, no dia 16, e para encerrar, a obra “História do soldado”, do compositor russo Igor Stravinsky, narrada pelo músico Arrigo Barnabé e interpretada pela Osusp.

Outras informações sobre o evento e a programação podem ser conferidas no link: cultura.usp.br/3×22

Evento: 3 x 22: diálogos improváveis

Quando | 13 a 17 de setembro de 2021 (segunda a sexta) das 15h às 19h.

Quanto | gratuito, sem necessidade de inscrição

Onde| cultura.usp.br/3×22