Maria Leontina, Tarsila do Amaral, Prunella Clough e Germaine Richier: mulheres artistas e prêmios de aquisição na Primeira Bienal de São Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Dissertação de Mestrado: Maria Leontina, Tarsila do Amaral, Prunella Clough e Germaine Richier: mulheres artistas e prêmios de aquisição na Primeira Bienal de São Paulo

Autor(a): Mariana Leão Silva

Ano: 2020

Orientador(a): Ana Gonçalves Magalhães

Unidade da USP: Interunidades em Estética e História da Arte

Disponível em: https://doi.org/10.11606/D.93.2020.tde-14082020-185141

 

Resumo:

A dissertação tem como intuito analisar a premiação de mulheres artistas na Primeira Bienal de São Paulo, em 1951. A hipótese é que ao concentrar a atenção nas personagens femininas encontram-se elementos, artistas e poéticas que ficaram às margens das narrativas sobre a Bienal e poderiam dar uma nova luz ao entendimento do evento. Assim, a pesquisa parte de um estudo de caso para propor novas perspectivas para a história da Bienal, contestando sua narrativa tradicional como uma história única. As obras e artistas premiadas, e portanto estudadas neste trabalho, são: “Natureza-morta” (1951) de Maria Leontina, “Estrada de Ferro Central do Brasil” (1924) de Tarsila do Amaral, “A floresta” (1946) de Germaine Richier e um conjunto de cinco gravuras de Prunella Clough (“Medusa” de 1949, “Milho” de 1949, “Rede para enguias” de 1949, “Natureza morta com pêra” de 1950 e “Planta em estufa” de 1950). Todas foram premiadas na categoria de aquisição do evento, o que significava a incorporação das obras ao acervo do antigo MAM de São Paulo, atualmente coleção do MAC USP. Com este recorte, a pesquisa ilumina obras desta instituição que não haviam sido estudadas anteriormente, à exceção da celebrada obra de Tarsila, que mesmo assim carecia de um estudo que a explorasse em seu contexto de incorporação ao acervo do museu. De fato, o estudo centrado nas premiações femininas permite levantar aspectos pouco estudados e desvalorizados nas narrativas sobre a Bienal, como a pluralidade e a importância de poéticas figurativas no evento e os prêmios de aquisição. Sublinha-se nesse sentido que a pesquisa também suscita uma reflexão sobre esta categoria de premiação, que realmente merece maior atenção, permitindo compreender a dimensão duradoura de um evento marcado por seu caráter efêmero.

Palavras-chave: Bienal de São Paulo; Coleção MAC USP; Mulheres artistas; Prêmios de aquisição; Relações de gênero.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.