Mário de Andrade e as ideologias geográficas: entidade e território em Macunaíma – o herói sem nenhum caráter

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Dissertação de Mestrado: Mário de Andrade e as ideologias geográficas: entidade e território em Macunaíma – o herói sem nenhum caráter

Autor(a): Giulliano Coutinho

Ano: 2018

Orientador(a): Manoel Fernandes de Sousa Neto

Unidade da USP: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)

Disponível em: https://doi.org/10.11606/D.8.2019.tde-13022019-163914

 

Resumo:

Esta pesquisa tem como finalidade estimular uma reflexão sobre a busca incansável efetuada por Mário de Andrade pela descoberta da entidade nacional brasileira e da gênese do território nacional na obra Macunaíma o herói sem nenhum caráter. Escrita nos anos 1920, essa década é reconhecida como momento fundamental do aparecimento de uma concepção moderna de Brasil. No interior dessa concepção destacam-se aquelas ideias acerca da nacionalidade e da identidade brasileiras, trazendo consigo densa análise acerca da espacialidade. Apoiando-se nessa ideia, delineou-se, a partir da organização do espaço no Brasil, uma concepção de entidade e de formação territorial brasileiras em Mário de Andrade sinalizadas em Macunaíma, tido como um dos mais expressivos intelectuais brasileiros do período. Trata-se de um estudo em que a figura do indivíduo expressivo de Lucien Goldmann assim como a do intelectual de Antonio Gramsci constitui-se como roteiro metodológico básico. As transformações no seio da sociedade brasileira e suas manifestações sobre a produção do espaço na elaboração de uma identidade nacional ocupam neste trabalho uma das principais preocupações.

Palavras-chave: Formação Nacional Brasileira; Ideologias Geográficas; Macunaíma; Mário de Andrade.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.