Oralidade em Itinerários-cartas de Mário de Andrade e Manuel Bandeira para Alphonsus de Guimaraens Filho

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Tese de Doutorado: Oralidade em Itinerários-cartas de Mário de Andrade e Manuel Bandeira para Alphonsus de Guimaraens Filho

Autor(a): Simone Strelciunas Goh

Ano: 2014

Orientador(a): Hudinilson Urbano

Unidade da USP: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Disponível em: https://doi.org/10.11606/T.8.2014.tde-22042014-130139

Resumo:

O objetivo deste trabalho é estudar o gênero cartas, na sua especificidade, cartas entre escritores apresentado em um corpus único e cronológico e demonstrar que ele registra marcas de oralidade, especificamente marcadores de atenuação, criando um discurso epistolográfico cortês de Mário de Andrade e Manuel Bandeira com seu interlocutor Alphonsus de Guimaraens Filho. Elegemos como corpus seis cartas de Mário de Andrade e dezenove de Manuel Bandeira enviadas a Alphonsus de Guimaraens Filho no período de 1940 a 1944 e editadas no livro Itinerários . Faz-se um estudo descritivo e histórico do gênero cartas, verificando que a forma/composição do gênero não sofreu alterações desde os primórdios do ano 200 dC até os nossos dias. Posicionamos as cartas entre os polos da escrituralidade/oralidade, constatando a condição híbrida do gênero e dos textos sob análise. As cartas foram produzidas de forma gráfica, no entanto, apresentam marcas de oralidade. Verificamos que a história epistolográfica entre os escritores foi duradoura e atingiu seu objetivo, colaborando para o aprimoramento estético de Alphonsus de Guimaraens Filho. Acrescenta-se que tal êxito se deu pela presença da cortesia verbal nas cartas, especialmente, por meio dos marcadores de atenuação. Tais marcas modalizaram o enunciado, diminuindo a força dos atos ameaçadores de face. Na conclusão, destaca-se a valiosa contribuição das cartas de Mário de Andrade e Manuel Bandeira em relação às conquistas literárias de Alphonsus de Guimaraens Filho. A tese contribui para os estudos linguísticos, uma vez que comprovamos que mesmo sendo escritores renomados, Mário de Andrade e Manuel Bandeira mostraramse respeitosos e corteses para com o jovem escritor Alphonsus de Guimaraens Filho, conseguindo manter a interação mesmo à distância.

Palavras-chave: Cartas; Cortesia; Gêneros discursivos; Oralidade; Preservação de face.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.