Planejando Estados, construindo nações: os projetos políticos de Francisco de Miranda, Bernardo Monteagudo e José Bonifácio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Dissertação de Mestrado: Planejando Estados, construindo nações: os projetos políticos de Francisco de Miranda, Bernardo Monteagudo e José Bonifácio

Autor(a): Fernanda da Silva Rodrigues Rossi

Ano: 2013

Orientador(a): Julio Cesar Pimentel Pinto Filho

Unidade da USP: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)

Disponível em: https://doi.org/10.11606/D.8.2013.tde-01042014-094629

Resumo:

Os movimentos pela emancipação na América marcaram-na sobremaneira no início do século XIX, pelas conjunturas que levaram à formação dos novos países e também pelas disputas políticas e conflitos armados. Focos de luta surgiam simultaneamente por todo o continente, propiciando a concepção de inúmeros projetos políticos que propunham caminhos diversos para os jovens países. Na América do Sul, leste e oeste experimentam as dificuldades e alimentam as esperanças de sonhar com um mundo novo, opondo-se francamente ao colonizador, seja ele espanhol ou português, enquanto constroem as bases das novas nações. Dentre os idealizadores das novas nações, estavam Francisco de Miranda, Bernardo Monteagudo e José Bonifácio, cada qual buscando, a seu modo, uma direção que levasse as suas Américas à modernidade e à liberdade. Em seus textos, são tratadas diversas questões que desafiam a constituição dos novos Estados, entre elas a delimitação de uma unidade territorial, a construção de uma identidade própria e a definição de uma forma justa de governo, indagações comuns a outros tantos pensadores da época. Por conta disso, tais pontos norteiam, a partir da comparação entre as percepções de cada um dos três autores, esta análise das aproximações e distanciamentos de suas formas de pensar, aparentemente tão diferentes entre si. Assim, acredita-se ser possível encontrar aspectos que levem a uma compreensão da circulação de ideias na América do Sul deste período, indo além do tradicional entendimento de que os processos nas porções espanhola e portuguesa foram díspares em sua essência.

Palavras-chave: História latino-americana.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.