Guignard e o ambiente artístico no Brasil nas décadas de 1930 e 1940

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Dissertação de Mestrado: Guignard e o ambiente artístico no Brasil nas décadas de 1930 e 1940

Autor(a): José Augusto Pereira Ribeiro

Ano: 2009

Orientador(a): Sonia Salzstein Goldberg

Unidade da USP: Escola de Comunicações e Artes (ECA)

Disponível em: https://doi.org/10.11606/D.27.2009.tde-25102010-172303

Resumo:

A presente dissertação tem como objetivo analisar a obra de Alberto da Veiga Guignard (1896-1962), focalizando especialmente seu percurso nas décadas de 1930 e 1940, período em que ela constituiu alguns de seus aspectos poéticos decisivos um vocabulário lírico ligado ao prosaico e o apreço por uma pintura de superfície. O estudo busca mostrar como esses aspectos sobretudo o lirismo colhido a materiais humildes da vida cotidiana podem estar ligados à proximidade do pintor com os poetas Manuel Bandeira e Murilo Mendes e, de outro modo, também com a imaginação onírica do artista Ismael Nery, que de algum modo dialoga com as paisagens imaginárias que marcam tão fortemente a pintura de Guignard. A dissertação procurou discutir a obra do pintor no quadro do modernismo brasileiro, principalmente no que concerne à questão nacional-popular, presente na pintura de Guignard de modo muito mais sutil e refratado, conforme se argumenta, do que em muitos de seus contemporâneos da geração modernista dos anos 1930.

Palavras-chave: Alberto da Veiga Guignard; Arte moderna; História da Arte no Brasil; Modernismo; Pintura brasileira.

 

Fonte: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP.