“Pra Frente Brasil”, “Independência ou Morte” e o uso de música e cinema como propaganda oficial

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Artigo: “Pra Frente Brasil”, “Independência ou Morte” e o uso de música e cinema como propaganda oficial

Autor(a): Evaldo Piccino

Revista: Novos Olhares

Ano: 2012

Disponível em: https://www.revistas.usp.br/novosolhares/article/view/55402

 

Resumo:

Durante a ditadura militar no Brasil (1964-1984), a censura e a repressão contra artistas que utilizaram suas obras como meios de propaganda de oposição ao governo tiveram como contraponto o patrulhamento ideológico contra aqueles que, por outro lado, tiveram suas obras utilizadas como propaganda oficial. O objetivo deste artigo é discutir sob essa ótica alguns casos concretos, focando a análise na ocasião das comemorações do sesquicentenário da proclamação da independência do Brasil (1972). Dentro deste período histórico, serão abordadas três obras: as canções: “Chamamos aos Heróis da Independência” de Geraldo Filme, “Hino do Sesquicentenário” de Miguel Gustavo, autor também da marcha “Pra frente Brasil”) e o filme “Independência ou Morte” de Carlos Coimbra.

Palavras-chave: Ditadura militar no Brasil, Sesquicentenário da independência, Geraldo Filme, Miguel Gustavo, Carlos Coimbra.

 

Fonte: Portal de Revistas da USP